terça-feira, 31 de março de 2015

Nativa abre inscrições para concurso de causos



Terça-feira- 31 de março
Radialista idealizou o concurso que vai formar acerco na emissora
No dicionário brasileiro “Causo é uma história (representando fatos verídicos ou não), contada de forma engraçada, com objetivo lúdico. Muitas vezes são apresentados com rimas, trabalhando assim a sonoridade das palavras.

No dia 30 de março foram abertas as inscrições para o 1º Concurso de Causos Mala de Garupa, promovido pela Rádio Nativa FM de Piratini que acolheu a ideia do compositor, escritor e radialista Juarez Machado de Farias, apresentador do programa gaúcho Raízes da Terra.

Até o dia 05 de junho é possível entregar os trabalhos e, conforme o idealizador, o objetivo é valorizar a literatura oral de pessoas residentes em Piratini e Pinheiro Machado.
- O entrevistador pode ter qualquer idade, mas, é necessário que o entrevistado tenha idade igual ou superior a 60 anos – explica Machado de Farias.

Ele lembra que quanto mais antigos os fatos relatados melhor, e que estes podem ser fictícios, lendas, mitos, reais, dramáticos ou pitorescos.
- O participante vai colher o fato e envia-lo de forma digitalizada para a Rádio Nativa. O resultado será divulgado durante a Semana da Cultura que têm início dia 30 de junho e término em 06 de julho – amplia.

O prêmio para os três primeiros classificados serão malas de garupa que trarão em seu interior, livros, cds e uma quantia em dinheiro não revelada.

Todo material coletado e não só dos vencedores, vai formar um acervo na emissora que ficará à disposição para pesquisas.

OAB integra luta para nomeação de delegado

Terça-feira-31 de março
Francisco Luçardo acredita na nomeação de Brodback
A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) subseção Piratini, se somou esta semana a luta para que o Estado nomeie um delegado titular para o município.

Segundo o presidente da OAB local, Francisco Luçardo, a entidade encabeça um ofício a ser remetido ao secretário estadual de segurança Wantuir Jacini onde órgãos como o Poder Judiciário e Ministério Público assinam o pedido junto com representantes e entidades da sociedade civil como a ACIAS/CDL , Lions  e Rotary Clube e as duas casas maçônicas da cidade.

- Tem havido muita rotatividade na função e isso prejudica a atividade policial. Foram quatro delegados em quatro anos e agora estamos sem nenhum – lembra Luçardo.

Ele revelou que entre as ações para que o objetivo seja atingido, também já esteve reunido com a delegada regional Karla Kuhn e, durante a visita sugeriu o nome do delegado Rafael Vitola Brodback, hoje lotado em uma das delegacias de Pelotas.

Brodback tem residência fixa em Piratini e já teria manifestado o desejo de assumir o comando da DP.

- O juiz Alejandro Raio Werlang já esteve em contato com a Secretaria Estadual de Segurança e a possibilidade de ser Brodback o nome indicado foi reforçada – conclui Luçardo.

segunda-feira, 30 de março de 2015

Empresário morre em acidente na curva da morte

Segunda-feira-30 de março

A semana começa com um fato triste para a comunidade Canguçuense. O empresário José Luis Costa Almeida morreu vítima de um acidente na BR 392, no trecho conhecido como "Curva da Morte", e que leva este nome por vitimar diversas pessoas em situações semelhantes. José possuía um abatedouro no município. O fato ocorreu por volta de 07h30min.

A segunda-feira (30) começou chuvosa. A chuva que fazia falta para agricultura e o abastecimento de água pode ter sido um dos fatores da colisão envolvendo um Fiat Strada placas IUC 5217, onde estava José Luis, e um caminhão de auto socorro da empresa Zap de Passo Fundo, placas JCN 0312. O caminhão descia sentido Pelotas e colidiu contra a caminhonete Strada que vinha no sentido contrario. 
O caminhão da empresa Zap transportava outro veículo com placas de Rio Grande que tombou da carroceria com o impacto.

José Luis Costa Almeida morreu na hora. A Ecosul realizou o serviço de resgate e monitorava o trânsito até a chegada da Polícia Rodoviária Federal (PRF). Com o acidente o trânsito ficou lento e bloqueado em um dos sentidos devido ao vazamento de óleo na pista.

Uma mulher, que estava no carona da caminhonete Fiat Strada, foi encaminhada em estado grave para o município de Pelotas. Ela seria sobrinha do condutor.
Com as informações: Canguçu em Foco


Novo furto em residência do interior de Piratini

Segunda-Feira- 30 de março
A insegurança que já há algum tempo atinge o meio rural teve mais um capítulo na madrugada do último sábado,28.

Desta vez a vítima que requisitou anonimato, reside no Passo da Porteira, terceiro distrito de Piratini.

Do galpão situado a 300 metros da moradia principal, o ladrão  levou entre outros objetos e ferramentas, uma bomba de engraxar, uma máquinas de reparar pneus, um lava jato, o tacógrafo do caminhão da família, um compressor e uma pistola de pintura, totalizando um prejuízo de quinze mil reais.

O proprietário disse à Brigada Militar e para uma agente da Polícia Civil que tem um suspeito de praticar o furto, mas, se negou a revelar o nome por temer represálias.


sexta-feira, 27 de março de 2015

Mínimo regional deve ser retroativo a fevereiro

Sexa-feira-27 de março
Foto: Adriana Franciosi / Agencia RBS
Após a decisão do Tribunal de Justiça gaúcho, que, na segunda, considerou constitucional o reajuste de 16% do salário mínimo regional, os patrões devem se preparar para cumprir a lei. O reajuste inclui 1,3 milhão de trabalhadores no Estado. No caso das empregadas domésticas, o pagamento do reajuste deve ser retroativo a fevereiro.
O piso vale para as categorias enquadradas nas cinco faixas salariais, como as empregadas domésticas. Nesses casos, o pagamento deve ser retroativo a fevereiro, ou seja, na folha de abril deve ser paga a diferença de salário do contracheque de março. Em setores como o comércio, que terão negociação coletiva nos próximos meses, o pagamento vai ser ajustado entre os sindicatos.
Com o reajuste, a faixa salarial mais baixa, que contempla empregadas domésticas e trabalhadores rurais, entre outros, sobe de R$ 868 para R$ 1.006,08. Trabalhadores do comércio em geral, o piso passa para R$ 1.053,42. Conforme o presidente do Sindicato dos Lojistas do Comércio Varejista (Sindilojas) da Região Centro, Ademir da Costa, a data-base da categoria é 1º de abril. Logo, no começo do mês os dois sindicatos começarão a conversar para definir o reajuste, com base na inflação entre março de 2014 e março de 2015. Mas ninguém poderá ganhar menos do que o mínimo:
— Sempre concedemos a reposição da inflação e mais um aumento real de dois ou três pontos percentuais. Mas no ano passado, a inflação foi de 6,4%, e o reajuste do mínimo foi de 16%. Isso é muita coisa. Vai ficar complicado para os patrões, que passaram por um ano difícil no ano passado.
No caso das domésticas, o cálculo que deve ser feito é o seguinte: para quem trabalha 44 horas por semana, o salário passa de R$ 868 para R$ 1.006,08. Na folha de pagamento de abril (correspondente ao mês de março), devem ser pagos os R$ 1.006,08 mais R$ 138,08, correspondente à diferença do salário pago em março (relativo a fevereiro), o que dá R$ 1.144,16. Os valores são sem os descontos dos encargos trabalhistas previstos em lei
Fonte Zero-Hora
TABELAS DOS VALORES NOMINAIS DO SALÁRIO MÍNIMO REGIONAL DO RIO GRANDE DO SUL

O salário mínimo ou piso regional é usado somente no pagamento de trabalhadores de categorias sem representação sindical:

Faixa 1 - 1.006,88
a) na agricultura e na pecuária;
b) nas indústrias extrativas;
c) em empresas de capturação do pescado (pesqueira);
d) empregados domésticos;
e) em turismo e hospitalidade;
f) nas indústrias da construção civil;
g) nas indústrias de instrumentos musicais e de brinquedos;
h) em estabelecimentos hípicos;
i) empregados motociclistas no transporte de documentos e de pequenos volumes - "motoboy";
j) empregados em garagens e estacionamentos; e
k) empregados em hotéis, restaurantes, bares e similares;

Faixa 2 - 1.030,06
a) nas indústrias do vestuário e do calçado;
b) nas indústrias de fiação e de tecelagem;
c) nas indústrias de artefatos de couro;
d) nas indústrias do papel, papelão e cortiça;
e) em empresas distribuidoras e vendedoras de jornais e revistas e empregados em bancas, vendedores ambulantes de jornais e revistas;
f) empregados da administração das empresas proprietárias de jornais e revistas;
g) empregados em estabelecimentos de serviços de saúde;
h) empregados em serviços de asseio, e conservação e limpeza; e
i) trabalhadores nas empresas de telecomunicações, teleoperador (call-centers), "telemarketing", "call-centers", operadoras de "voip" (voz sobre identificação e protocolo), TV a cabo e similares;

Faixa 3 - 1.053,42
a) nas indústrias do mobiliário;
b) nas indústrias químicas e farmacêuticas;
c) nas indústrias cinematográficas;
d) nas indústrias da alimentação;
c) empregados no comércio em geral;
f) empregados de agentes autônomos do comércio;
g) empregados em exibidoras e distribuidoras cinematográficas;
h) movimentadores de mercadorias em geral;
i) trabalhadores no comércio armazenador; e
j) auxiliares de administração de armazéns gerais;
Faixa 4 - 1.095,02
a) nas indústrias metalúrgicas, mecânicas e de material elétrico;
b) nas indústrias gráficas;
c) nas indústrias de vidros, cristais, espelhos, cerâmica de louça e porcelana;
d) nas indústrias de artefatos de borracha;
e) em empresas de seguros privados e capitalização e de agentes autônomos de seguros privados e de crédito;
f) em edifícios e condomínios residenciais, comerciais e similares;
g) nas indústrias de joalheria e lapidação de pedras preciosas;
h) auxiliares em administração escolar (empregados de estabelecimentos de ensino);
i) empregados em entidades culturais, recreativas, de assistência social, de orientação e formação profissional;
j) marinheiros fluviais de convés, marinheiros fluviais de máquinas, cozinheiros fluviais, taifeiros fluviais, empregados em escritórios de agências de navegação, empregados em terminais de contêineres e mestres e encarregados em estaleiros;
k) vigilantes; e
l) trabalhadores marítimos do 1º grupo de Aquaviários que laboram nas seções de Convés, Máquinas, Câmara e Saúde, em todos os níveis (I, II, III, IV, V, VI, VII e superiores);

Faixa 5 – 1.276,00
Técnicos de nível médio, tanto em cursos integrados, quanto subsequentes ou concomitantes.