sexta-feira, 17 de agosto de 2018

Saiba o roteiro da vacinação no interior de Piratini

Sexta-feira- 17 de agosto de 2018

Roteiro 01

Comunidade Alberto Dutra- 09- 09:15h

Associação do Barrocão- 09:0- 09: 40h

Escola Duque de Caxias -10:10 - 10:20h

Escola Armando Fajardo- Agrofil- 10:40 - 11h

Sede Assentamento Conquista dos Imigrantes-  12:30-12:50h

Escola João Abílio Vaz  (Cerro do Sandi) 13:20 - 13:40h

Associação Remanescentes do Quilombo- 14:00 - 14:40h

Izagro- 15:00 - 15:15h

Passo do Alfaiate- 15:25- 15:45h

Associação Orlando Franco- 16:00 - 16:15h

Roteiro 02

Ferraria, Escola Anair Gomes- 08:00- 08:30h

Associação do Quilombo- 08:45- 09:00h

Zé Moura- Passo do Dorneles- 09:15- 09:45h

Escola José Maria da Silveira-10:00- 10:30h

Assentamento Nova Canaã- 10:45- 11:15h

Sede do Assentamento Santo Antônio- 12:30- 13:00h

Associação Venda da Serra- 13:30- 13:40h

Sede do Assentamento Cachoeirinha- 14:10- 14:40h

Sede do Assentamento Itassucê- 15:00- 15:15h

Sede do Assentamento Nova Sociedade (Desvio, Herval) 15:45- 16:00h

Roteiro 03
Associação Passo da Canoa (colégio) 08:00 - 08:30h

Escola Vieira da Cunha- 09:00 - 09:30h

Assentamento Floresta- (08 de Maio) 09:45- 10:15

Associação Ponte do Império- 10:30- 11:00h

Associação Passo do Sabugueiro- 11:20- 11:50h

Assentamento Conquista da Liberdade ( Cica) 13:00- 13:30h

Assentamento Conquista da Luta ( Rubira I) 14:00- 14:30h

Assentamento Fortaleza (Rubira II) 14:45- 15:15h

Roteiro 4
Associação Passo do Batalha ( Comunidade Católica Santa Maria Gorete) 08:30- 08:45h

Posto de Saúde Solidão 08:55- 09:15h

Assentamento Passo do Maria Antônia- 10:00 - 10:15

Rincão dos Ávilas (colégio) 10:45- 11:15

Associação de Desenvolvimento São Lucas ( Serra dos Silveiras) 11:45- 12:00h

Roteiro 5

Colégio Padre Reinaldo- 08:00- 08:30h

Associação Rodeio Velho 08:45- 09:00h

Colégio Cruz de Pedra- 9:35- 09:45h

Capela- 10:45- 11:00h

Associação do Chapadão- 12:30- 12:45h

Venda do Donaldo- Escola Municipal Acelino Moraes- 13:15- 13:30h

Venda do Ari-  13:45- 14:00h

Colégio Costa do Bica ( Venda do Josino) 14:30- 14:45h










quinta-feira, 16 de agosto de 2018

Poeta com Down lança seu novo livro de poesias


Quinta-feira, 16 de agosto de 2018
Síndrome de Down não tem sido barreira para Mariozinho
A Síndrome de Down definitivamente não é barreira para o poeta Mário Oliveira dos Santos, o Mariozinho, 30 anos, que pilchado como dita os bons costumes do pago gaúcho, diariamente  faz seu vai e vem pelas ruas e casas da cidade histórica para pessoalmente comercializar o seu quarto livro de poesias que, carregados na tradicional mala de garupa, marca já registrada do escritor que nessa nova jornada conta com a parceria de amigos para outra vez e, através da literatura, se manter em destaque no cenário cultural piratiniense.

“Nessa obra que foi batizada pelo cantor e radialista Darlan Pereira, de“ Alma Farroupilha, tenho como parceiro os também escritores e amigos João Manoel Ferreira e Antônio Lobato Ortiz, assim consegui chegar a 27 poesias, sendo 13 inéditas, já que as demais são contém algumas de livros anteriores”, conta Mariozinho.

Com a publicação, o poeta entende que consegue desta forma manter o nome da família ativo entre as artes sulinas, uma vez que o pai, Mário Coelho dos Santos, hoje om 79 anos, foi patrão de piquete e fundador do Centro de Tradições Gaúchas ( CTG) Joaquim Paulo de Freitas.

Estou feliz, pois já tendo cantado com muitos dos principais nomes da música fandangueira e campeira no palco da Semana Farroupilha de Piratini, o que pretendo fazer novamente este ano, consegui concluir e publicar mais um livro de minha autoria”, encerrou.

Reportagem: Nael Rosa
Contato: 53- 984-586380 e 53- 999-502191
email:naelrosa@nativafmpiratini.com

quarta-feira, 15 de agosto de 2018

Cofrinho Solidário é a nova ação da APAE Piratini

Quarta-feira, 15 de agosto de 2018
Os valores podem ser irrisórios, mas para a APAE são importantes

Para muitas pessoas ao serem mantidas na carteira moedas se tornam um incomodo e o destino comum são aqueles cofres em casa que levam meses, muitas vezes, anos para atingirem sua capacidade de armazenamento, ou seja, ficarem cheios, e isso acontecendo o dinheiro de metal some do comércio se tornando um problema na hora do troco.

“Já que é para armazenar em um cofre, que seja no da a APAE”, está requisitando Lizete Frizzo, presidente da Associação dos Pais e Amigos dos Excepcionais de Piratini.

A urna que chama a atenção de quem passa pelo caixa de alguns comércios do município é um convite à solidariedade no momento de pagar as compras realizadas.

“A ideia surgiu em 2016 e veio através do nosso tesoureiro João Carlos Araújo, deu muito certo nos dois primeiros anos, mas agora observamos ao recolher as quantias arrecadadas até o final da primeira quinzena de cada mês, que as pessoas reduziram o ato de doar suas moedinhas”, observa a presidente.

Ela e os demais integrantes da direção e também os funcionários estão empenhados e mudar este comportamento e com isso ser o cofrinho solidário mais uma das diversas campanhas da entidade que possibilitam a continuidade dos serviços prestados pela mesma.

“Tudo o que temos feito ultimamente já não é visando a ampliação dos serviços, e sim, a manutenção da estrutura já existente, uma vez que, por exemplo, a folha de pagamento dos funcionários que atendem atualmente dezenas de alunos é onerosa para o que capta mensalmente a instituição”, explica Lizete.

“É só uma moedinha, o que não vai impactar em nosso orçamento mensal, mas quando menos esperamos, elas já encheram os cofres, o que vai ajudar muito a APAE de nossa cidade”, amplia.

Feijoada
Para aumentar à captação de recursos a entidade realizará no próximo dia 24 de agosto um dos seus eventos mais tradicionais. A Feijoada da APAE novamente, assim como nos anos anteriores, deve lotar as dependências da Associação Atlética Banco do Brasil (AABB).

“Essa atração, juntamente com os Queijos & Vinhos, é garantia de êxito e injeção de valores importantes usados no atendimento e atenção dos que necessitam do que propiciamos”, finaliza a gestora.

Reportagem: Nael Rosa
Contato: 53- 984-586380 e 53- 999-502191
email:naelrosa@nativafmpiratini.com



terça-feira, 14 de agosto de 2018

Pais não buscam e números da vacinação decepcionam


Terça-feira- 14 de agosto de 2018
Vacinas asseguram imunização contra doenças graves
Incompreensível! Este foi o termo utilizado pelo secretário municipal de saúde, Diego Espíndola, para definir, ao menos até o momento, o baixíssimo interesse dos pais em vacinarem seus filhos contra a poliomielite e o sarampo, campanha intensificada nacionalmente nas redes sociais e, em muito na imprensa nacional devido ao novo risco de casos das duas doenças graves, já que o sarampo pode levar ao óbito e a pólio causar paraplegia, comprometendo em definitivo o movimento das pernas.

“Não entendo. A estrutura está à disposição, as vacinas existem e o risco no país é real, então, por que mães e pais não estão levando seus filhos para receberem as doses que asseguram que as crianças não terão o risco de contrair doenças tão graves é o meu questionamento”, disse Espíndola.

O desabafo do secretário está alicerçado em um número realmente surpreendente e decepciona: mesmo as Unidades Básicas de Saúde vacinando desde o dia 06 de agosto, até agora somente 12% da meta de 90% dos pequenos em idade de receber as vacinas foi atingida.

“Sinceramente, eu espero que neste sábado, 18 de agosto, que é quando teremos o dia “ D” para a imunização em nível nacional, possamos alcançar algo em torno de 60%, mas confesso que diante do que vimos até agora estou receoso”, falou o secretário já não mais acreditando na meta inicial.

“Ainda entendo que deveríamos ter a intervenção de outros órgãos, inclusive da justiça, como acenou o Ministério Público inicialmente, para que mães e pais atualizem a carteira de vacina de seus filhos. Talvez esta seja uma necessidade real”, conclui.

Em Piratini os postos de saúde estão abertos das 08: 30 às 11:30 e das 13:00 às 16: 30h. No sábado o horário para os residentes na cidade será especial e unidades móveis irão percorrer todo o interior e toda as crianças com idade entre 01 e 05 anos devem receber as vacinas
.
Reportagem: Nael Rosa
Contato: 53- 984-586380 e 53- 999-502191

email:naelrosa@nativafmpiratini.com

quarta-feira, 8 de agosto de 2018

Confusão envolve antiga viatura do Samu no Cancelão


Quinta-feira- 09 de agosto de 2018
Vigilante disse que é impossível entender essa confusão
No princípio de maio deste ano a ambulância do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência- Samu, de Piratini, saiu de cena, ao menos para essa atividade específica. De cena, mas não de evidência, e talvez o secretário municipal de saúde, Diego Espíndola terá que considerar descaracteriza-la antes do que previa.

É que o veiculo finalmente substituído por outro, foi doado para a estrutura da pasta, assim, passou a integrar a frota que a secretaria dispõe com objetivo de buscar e levar pacientes, principalmente dentro do perímetro urbano e na vila do Cancelão. E foi neste bairro que a velha ambulância se tornou parte de uma ocorrência.

Damião Marques da Silveira, 40 anos, contou à reportagem que no domingo, 05, sua mãe, Alda Marques da Silveira, 83 anos passou mal.

“Ela teve cólicas, vômito e desmaiou, sintomas que podem ser indicativo de problemas cardíacos. Como somos sozinhos eu pedi ajuda ligando para o número 192, a emergência, e no máximo 25 minutos após chega em nossa casa uma ambulância do Samu, mas apenas com o motorista, ou seja, sem socorrista”, contou o vigilante.

Começava aí um mal entendido que no dia seguinte foi parar no Ministério Público.

“Diante da situação me neguei a acompanhar minha mãe na ambulância, pois se eu quisesse apenas um motorista poderia te chamado um táxi. Naquele caso se fazia necessário no mínimo uma técnica em enfermagem”, disse Silveira.

“Se eu ligo para a emergência e me aparece aqui um veículo com as cores, logo e numero do Samu, o que devo pensar? Que é Samu, certo?, questionou.

O fato é que não era e, assim como foi, sem paciente, o condutor da ambulância retornou à base sem completar o chamado.

O secretário Espíndola explicou o enrosco.
“O que aconteceu é que quando ele relatou por telefone os sintomas de sua mãe para a regulação em Pelotas, o médico entendeu que não era um caso para o Samu, e quando isso ocorre somos contatados para uma de nossas unidades buscar o enfermo e conduzir ao Pronto Atendimento e, em muitas dessas situações não precisa técnico, apenas o motorista e no dia do episódio quem estava de prontidão era a antiga ambulância.

Diante da situação que pode vir a ocorrer novamente, Espíndola concorda que a então viatura que por anos serviu a emergência precisará receber uma nova pintura e caracterização.

Reportagem: Nael Rosa
Contato: 53- 984-586380 e 53- 999-502191
email:naelrosa@nativafmpiratini.com